Gordo félodaquenga

27fev08

Algum troxa, em um passado imemorial, lhe dá um livro do Jô Soares de presente. Aquela trolha fica na estante durante anos, amarelando, sem nunca ser aberta, até que um dia você vê que precisa de mais espaço para guardar livros que prestam e resolve juntar essa a outras tranqueiras para ver se consegue desconto em algum sebo. Você mostra pro dono do estabelecimento e, com desdém, ele fala: “Isso aqui não, tenho um monte lá no fundo e ninguém compra”. Você vai para outro sebo e o sujeito de lá diz: “Isso não vale nada, poderia servir em uma troca, por dois reais, mas eu já tenho outros”. Aí você pensa em doar para uma biblioteca, mas sua fé num futuro de melhores leitores o proíbe. No terceiro sebo, você muda a tática. Pega um livro e vai pagar. Na hora de sacar a carteira, tira o desgraçado da pasta e pergunta: “Olha, eu tenho esse livro, você pode me dar um desconto?”. A mulher, titubeante, diz que não interessa. Você aproveita o vacilo e implora: “Qualquer desconto serve”. Ela, sem convicção, topa. Você faz a transação rapidamente e muda de assunto: “Bonito sebo, é novo, né?”. Você ganha a rua com Berlim Alexanderplatz tendo custado dois reais a menos e a satisfação de ter livrado a sua casa de qualquer vestígio daquele gordo filho de uma puta!



No Responses Yet to “Gordo félodaquenga”

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: